Do Portal do PT

Dirigentes do PT, PSOL e PCdoB, representantes do Movimento Sem Terra (MST) e das centrais sindicais criaram, no último sábado (27), em São Paulo (SP), o Grupo Brasil. Em articulação desde o fim do ano passado, nova frente pretende fortalecer os partidos de esquerda no País.

Para o secretário Nacional de Comunicação do PT, José Américo Dias, essa “aglutinação de forças” torna o Grupo Brasil uma iniciativa importante para a história do Brasil. “A ideia é fazer defesa de teses em comum e lutar pelo o que une os partidos”, diz.

Segundo o petista, a frente irá proteger também as conquistas sociais importantes e algumas bandeiras que são comuns a todos. No entanto, o secretário afirma que não há qualquer viés eleitoral ou partidário no Grupo Brasil.

Constituída para defender as conquistas sociais e dar força e unidade popular aos partidos de esquerda, a frente marcou sua primeira reunião para o dia 25 de julho, também na capital paulista. A política econômica será tema do primeira debate, que tratará também sobre os setores críticos da economia. Serão elaboradas também no encontro as diretrizes do grupo.

A iniciativa partiu de movimentos sociais e sindicatos e revela a preocupação das forças sociais e dos partidos, que mesmo com posições políticas diferentes, se uniram em torno da ideia de defesa de conquistas sociais, reformas sócias e defesa da democracia.

“Há uma escalada conservadora na política brasileira e uma ameaça por parte da direita às conquistas sociais e políticas importantes, por isso precisamos defender os pontos de vistas comuns, o direito de livre expressão sexual, direito das minorias e acabar com os ataques racistas”, afirma José Américo Dias.

A primeira conferência nacional da frente de coalizão de esquerda está marcada os dias 5 e 6 de setembro, com a presença esperada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.