Marina, um poço de confusão e contradições (Por Mino Carta)

por Mino Carta na Carta Capital
Marina

Vale confiar em uma candidata que atribui a sua chance à Providência Divina?

Diz o diário que Marina Silva tem um passado honroso e nem por isso as qualidades necessárias ao exercício da Presidência de um país do tamanho e da importância do Brasil. Sua formação política é precária e suas ideias, quando manifestadas com um mínimo de clareza semântica, são confusas e contraditórias, de sorte a ressaltar a dramática incógnita que a candidata representaria se eleita.

O texto do La Repubblica confirma as nossas previsões, feitas nesta página no momento em que ficou assentada a substituição de Eduardo Campos por Marina Silva. Ou seja: ela seria tragada pelo apoio da mídia nativa, autêntico partido de oposição, porta-voz da casa-grande, e por esta arrastada inexoravelmente para a direita mais retrógrada.

E aí começam a confusão e a contradição da candidata do PSB sem ser socialista. Ela passou a ocupar a cena política brasileira como inimiga do latifúndio e da devastação ambiental, o que implica uma postura oposta àquela dos seus atuais arautos e conselheiros, adeptos, além de tudo, da involução globalizada, dita neoliberalismo, a desencadear a crise mundial. Eis perfilada a ameaça: o retorno à política econômica do governo de Fernando Henrique Cardoso, quando, em nome da estabilidade, o Brasil quebrou impavidamente três vezes e foi entregue ao presidente Lula com as burras à míngua.

Uma ação leva a outra, e haveria a se temer também pela renúncia a uma política exterior que, depois de FHC, desatrelou o Brasil dos interesses de Washington. Há quem diga que o fenômeno Marina Silva de certa forma repete deploráveis momentos históricos vividos em 1960 com Jânio Quadros e em 1989 com Fernando Collor. Com o endosso maciço da mídia, o homem da vassourinha e o caçador de marajás foram eleitos. A Presidência de ambos redundou em desastre.

CartaCapital acredita que nas mãos da ex-seringueira o destino do Brasil não seria promissor. Mas acredita também que desta feita o País saberá evitar o risco, e não receia abalar-se a um vaticínio que muitos reputarão prematuro. Nadar contra a corrente estimula quem dá a braçada honesta.

Vale registrar, de todo modo, que esta nossa ribalta se oferece a personagens singulares, ou, se quiserem, peculiares, prontamente engolfados pela direitona sempre disposta a agarrar em fio desencapado. Não me permito incluir no rol de alternativas desesperadas o já citado Fernando Henrique, habilitado a tornar-se paladino de quaisquer ideias e tendências ao sabor do que entende como conveniência pessoal.

Nunca esquecerei aquela noite em Rafard, interior de São Paulo, na campanha para a primeira eleição a governador do estado em 1982. O príncipe dos sociólogos concedia sua arenga aos boias-frias da área enquanto a brisa noturna sussurrava nos canaviais, e Mario Covas sentou-se ao meu lado na amurada da boleia de um caminhão transformada em palanque. Meneava a cabeça, a significar: “Quantas besteiras…”

O mesmo Covas que ameaçou largar o PSDB caso FHC aceitasse o convite de Collor para ser seu chanceler. E não é que o homem quase embarcou na canoa furada? Sobra minha surpresa ao constatar que dentro do próprio ninho tucano o candidato Aécio, que me mereceu simpatia desde o tempo em que carregava a pasta do avô Tancredo, confia no ex-presidente. Tancredo, aliás, dizia do sociólogo: “É o maior goela da política brasileira”.

Ao cabo, pergunto aos meus botões se vale confiar, em contrapartida, em uma candidata que, ao se apresentar como tal, atribui a sua chance à Providência Divina. Teríamos de entender que a mesma manifestação do Altíssimo determinou a morte trágica de Eduardo Campos? Os botões, como Mario Covas, exprimem o oximoro do espanto resignado.

P.S.: O governador do Ceará, Cid Gomes, um dos melhores do País com 80% de aprovação, segundo pesquisa Datafolha de agosto passado, move ação por calúnia contra a semanal IstoÉ, que o acusa de envolvimento no Caso Petrobras. É o recurso recomendável contra quem carece de provas, como é da tradição dos porta-vozes da casa-grande. Não precisava, contudo, pedir a apreensão da revista. Isto equivale a oferecer aos caluniadores munição de graça.

Depois da pantalha paulista, a RBS enfia goela abaixo dos gaúchos a fazendeira goiana

Postado originalmente em Ficha Corrida:

Política e Eleições 2014

Ana Amélia Lemos e a fazenda

19 de setembro de 2014 7:04 pm / by Fabricio Maia

13.336

Em parceria com o jornalista gaúcho Luiz Afonso Franz, o blog Sociedade Política obteve documentos que demonstram que a candidata do PP ao governo do estado do Rio Grande do Sul, Ana Amélia Lemos, não relacionou, em sua declaração de bens na Justiça Eleitoral, uma fazenda localizada no município de Formosa/GO. Não se trata de uma pequena gleba de terra, mas de um latifúndio de aproximadamente 1.700 hectares.

Conforme as certidões atualizadas de matrícula (nº 13.336 e 13.335), a fazenda faz parte do patrimônio de Ana Amélia desde os anos 80 em co-propriedade com o marido e ex-senador biônico, Octávio Cardoso. Com a morte do seu marido em 2011, Ana Amélia, casada em comunhão universal de bens, herdou uma parcela considerável da parte pertencente ao marido.

No ano de…

Ver original 393 mais palavras

A tentativa espúria de Aécio e Marina de censurarem o debate #MarinaCensura #AécioCensura

CartoonVozdoBrasilOs acontecimentos da última semana deixaram bem claro aonde a direita está disposta a ir para retomar o lugar que pensavam ser perpétuo até a eleição de Lula. A Globo, parcialíssima como sempre, dar seus pitácos no jurídico não chega a ser surpresa, a novidade é que sua tentativa fracassada deu “start”  a sucessivos ataques à liberdade de expressão e a democracia . O TSE e o próprio PGR, na figura de Janot, partiram para uma campanha de censura contra  programas de tv e sites petistas. Já o candidato Aécio, figura já tarimbada em matéria de censura serviu de inspiração para a outra candidata, Marina Silva, que mais uma vez nos deu uma amostra grátis de sua “Nova Política”.

Pescado do PATAXÓcartuns

REDE GLOBO DE TELEVISÃO

TRE: Globo não tem poder para decidir conteúdo de propaganda eleitoral

Por: Viomundo

…A Rede Globo de Televisão se recusou esta tarde a exibir o programa do candidato do Governo de São Paulo, Alexandre Padilha, no horário eleitoral gratuito da segunda-feira, segundo fontes ligadas à campanha do petista.

A emissora dos irmãos Marinho alegava que o tema escolhido (bilhete BOM) estava vetado pela Justiça Eleitoral, por força de uma liminar que deu à campanha de Geraldo Alckmin direito de resposta.

http://www.viomundo.com.br/denuncias/globo-questiona-conteudo-da-propaganda-de-padilha-tre-diz-que-emissora-nao-tem-poder-para-decidir.html

AÉCIO NEVES

“Processo contra 66 tuiteiros prova que Aécio é grande censor”

Por:  Altamiro Borges

…Agora, o alvo de Aécio são as redes sociais. Ele está processando 66 tuiteiros. Na ação, o tucano diz que eles formam “uma rede virtual de disseminação de mentiras e ofensas contra o Autor, o que sugere uma atuação orquestrada, quiçá paga, para detrair sua honra, nome e história”.

http://www.viomundo.com.br/denuncias/altamiro-borges-processo-contra-66-tuiteiros.html

RODRIGO JANOT

Janot tomou partido de Marina
por:  Paulo Moreira Leite – blog:
…Ao apoiar censura à propaganda do PT, PGR diz que ela cria, “artificialmente”, reações ” emocionais” contra independência do BC. Como ele sabe?
Mais cedo do que se poderia imaginar, mas inevitável como reflexo de suas concepções políticas, agora Marina Silva tenta censurar a propaganda política de Dilma Rousseff.

http://paulomoreiraleite.com/2014/09/17/janot-da-o-braco-marina/

MARINA SILVA

Marina Censura e a “nova política”

Por: Dandara Lima, no site da UJS:
O portal Muda Mais saiu do ar ontem (16) com a decisão do ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que atende a ação apresentada pela coligação de Marina Silva (PSB/Rede, ex-verde, ex-petista, ex-ambientalista e etc), alegando que o site “transgride a proibição conferida pela legislação” da propaganda eleitoral na internet. A coligação de Marina alega que o Muda Mais e o site de Dilma são alimentados pela mesma equipe e com conteúdo semelhante.
http://altamiroborges.blogspot.jp/2014/09/marinacensura-e-nova-politica.html

#MarinaCensura perde: MUDA MAIS volta ao ar!!! #Somostodos66

Íntegra da decisão do TSE que cassa a liminar obtida por #MarinaCensura e determina que o blog MudaMais.com volte ao ar

muda_mais5Em nova decisão emitida nesta quinta-feira (18/9), o ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que o site MudaMais.com voltasse ao ar.

A decisão cassou a liminar obtida anteontem (16/9) pela candidatura de Marina Silva. “Por se tratar de irregularidades de natureza estritamente formal [alegadas por Marina em sua petição incial], autorizo, desde logo, a retomada do sítio eletrônico”, diz o ministro do TSE em seu despacho.

Por conta desse processo, a hashtag #MarinaCensura ocupou o topo do ranking dos tópicos mais comentados no Twitter entre a noite de anteontem e a manhã de ontem.

A seguir, a íntegra da decisão publicada hoje (18/9) no site do TSE.

PROPAGANDA ELEITORAL. INTERNET. SÍTIO ELETRÔNICO PERTENCENTE A PARTIDO POLÍTICO. REGULARIZAÇÃO DO REGISTRO. COMUNICAÇÃO À JUSTIÇA ELEITORAL. PROVEDOR DE SERVIÇO HOSPEDADO NO PAÍS. LEGALIDADE. RESTABELECIMENTO.

DECISÃO

Trata-se de Recurso, com pedido de reconsideração, interposto pela COLIÇÃO “COM A FORÇA DO POVO” (PT, PMDB, PDT, PC do B, PP, PR, PSD, PROS e PRV) e pelo PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT (DIRETÓRIO NACIONAL), com o objetivo de reformar decisão que, tendo acolhido liminarmente Representação formulada por MARINA SILVA, candidata à Presidência da República, determinou a retirada do ar do sítio eletrônico www.mudamais.com, sob pena de multa diária.

Os recorrentes sustentam que a propaganda eleitoral em questão encontra-se em conformidade com os arts. 57-B da Lei 9.504/1997 e 20 da Res. TSE 23.404/2013.

Após discorrerem sobre as diversas formas de comunicação pela Internet, asseveram que o termo site representa um gênero no qual se inserem como espécies, entre outros, os blogs, conceito em que estaria incluído o sítio www.mudamais.com.

Afirmam que, ao contrário do alegado pela Representante, a titularidade do domíniowww.mudamais.com pertence ao Partido dos Trabalhadores – PT, que apenas se valeu da contratação de empresa especializada (Polis Propaganda & Marketing Ltda.) para registro, criação e alimentação de seu conteúdo.

Apresentam ilustrações que demonstram que o servidor do aludido sítio está localizado na cidade de São Paulo-SP, embora tenha sido contratada a empresa Amazon para mantê-lo.

Pleiteiam a reconsideração do decisum ou, alternativamente, o recebimento do presente recurso como “comunicação de endereço eletrônico à Justiça Eleitoral” , nos termos do art. 57-B, II, da Lei 9.504/1997, e 20, II, da Resolução TSE 23.404/2014, para que, assim, possa ser restabelecida a divulgação do sítio eletrônico www.mudamais.com.

É o relatório.

A legislação em vigor autoriza a realização de propaganda eleitoral na internet, após o dia 5 de julho do ano da eleição, em sítio do candidato, do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no País (arts. 57-A e 57-B, incisos I e II, da Lei 9.504/1997).

Em se tratando de divulgação de propaganda por meio de blogs, a norma eleitoral permite que seu conteúdo seja livremente gerado ou editado por candidatos, partidos ou coligações, ou mesmo por iniciativa de qualquer pessoa natural.

Considerando-se a natureza eminentemente técnica dos conceitos de blog e de site, não se afigura possível, em análise perfunctória dos elementos apresentados, firmar juízo de valor peremptório favorável à classificação do sítio em questão como autêntico blog, tal qual defendido pelos recorrentes.

Por outro lado, diante das informações trazidas aos autos, especialmente a declaração oficial do Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores – PT, na qual se atesta que, de fato, “o blogwww.mudamais.com pertence ao Partido dos Trabalhadores” (grifei), e a comprovação de que o provedor de serviço encontra-se hospedado no País, determino:

a) que os recorrentes adotem as providências necessárias para a imediata alteração do registro do domínio www.mudamais.com, de modo que sua titularidade seja formalmente associada ao Partido dos Trabalhadores – PT, em vez da empresa contratada;

b) que informem à Justiça Eleitoral o aludido endereço eletrônico, nos termos do art. 57-B, II, da Lei da Lei 9.504/1997, e 20, II, da Resolução TSE 23.404/2014.

Ante o exposto, por se tratar de irregularidades de natureza estritamente formal, autorizo, desde logo, a retomada do sítio eletrônico www.mudamais.com.

Notifique-se a recorrida para, querendo, oferecer contrarrazões ao recurso, nos termos do art. 96, § 8º, da Lei 9.504/97.

Publique-se. Registre-se. Intimem-se.

Brasília, 18 de setembro de 2014.

MINISTRO HERMAN BENJAMIN

Relator

Pescado do Blog Paraná com Dilma

Datafolha: ótimo para Dilma, bom para Aécio e péssimo para Marina

  no Blog da Cidadania

Muitos não entenderam quando, na última terça-feira (16), este Blog publicou post intitulado Ibope: ótimo para Dilma, bom para Aécio e péssimo para Marina. Isso ocorreu porque poucos entendem que pesquisa não se lê literalmente, mas pelas tendências ao longo do tempo.

O fato, porém, é um só: o Datafolha “amarelou” e publicou uma pesquisa basicamente igual à do Ibope – de 3 dias antes –, mas sem “mexidas” nas famigeradas “margens de erro” que há meses vêm turvando as pesquisas sobre a eleição presidencial.

E o Datafolha “amarelou” por várias razões. A principal delas é a de que estamos a duas semanas da eleição em primeiro turno e quanto mais próximo o pleito vai ficando, mais arriscado fica manipular os dados que uma pesquisa apura.

Há, também, um fato que este blogueiro lembrou ontem pelo Twitter.

Para acessar o link de reportagem do IG de 2010, clique na imagem acima

Enfim, apesar de os trackings e as pesquisas dos partidos não acusarem a reação de Aécio, os 17% que o Datafolha lhe dá ficam na margem de erro dos cerca de 15 pontos que as campanhas de todos os candidatos – inclusive a do próprio Aécio – vêm apurando.

Tanto Ibope quanto Datafolha mostram o mesmo quadro, mas o Ibope do dia 16 deu uma forçada de barra ao insinuar que Aécio crescera em cima de Dilma quando se sabe que a aprovação dela vem melhorando a passos largos e a rejeição a Marina (que já ultrapassa a de Aécio, com 22%), vem subindo.

No segundo turno, tanto Datafolha quanto Ibope mostram o que dizem as campanhas dos candidatos: Dilma (43%) e Marina (46%). Ou seja, empatadas tecnicamente. A única diferença é que a campanha do PT vem apurando Dilma numericamente à frente de Marina, com média de 43% contra 41% de Marina.

Portanto, para aqueles que questionaram o Blog quanto à razão de ter dito, na última terça-feira, que o Ibope tinha sido ótimo para Dilma, bom para Aécio e péssimo para Marina, agora entendem que pesquisa não pode ser lida pelos números secos – há que ver a tendência.

Em resumo: os números são ótimos para Dilma porque ela vem em trajetória ascendente e em cerca de 20 dias reduziu a vantagem de Marina no segundo turno de 10 pontos para praticamente nada, pois com 2 pontos de “margem de erro” pode ter 45% e Marina, 44%.

Os números são bons para Aécio porque, apesar de continuar moribundo, conseguiu mostrar que não está morto. E, finalmente, são péssimos para Marina por razões óbvias: a trajetória dela é de queda há várias semanas.

O que é mais relevante na pesquisa, porém, é que, apesar de a mídia atribuir a queda de Marina aos ataques do “maldoso” PT, essa vitimização acusatória em benefício da candidata do PSB, que ganhou até capa da Veja, não produziu efeito. Ou teve efeito contrário.

Na verdade, a vitimização de Marina – por ela mesma e pela mídia – parece ter enojado grande, enorme parte da sociedade. E não era para menos. Foi nojento. E injusto. Dilma apenas fez críticas políticas a Marina e esta fez críticas pessoais ao se dizer “caluniada”.

Fica a lição do avô de Aécio, Tancredo Neves – que o neto certamente nunca aprendeu: “A esperteza, quando é muita, cresce e engole o dono”. A lição também vale para Marina. Talvez até mais do que para Aécio.

Como ocupar espaços públicos?Bate papo com Duda Calvin (da banda Tequila Baby)Vídeo-3 min

Bate papo com Duda Calvin (da banda Tequila baby) sobre cultura e política


Luiz Müller

Twitter


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 9.046 outros seguidores