Paulo Moreira Leita: “GOLPE DE VEJA FORÇARÁ DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA”

Milhares de gaúchos afirmam que estão mudando o voto no 2º turno

Gauchos e gauchas nas eleiçõesDepois que o candidato Vitorioso no 1º turno, José Ivo Sartori começou a ser conhecido pelos gaúchos, seus votos diminuem dia a dia. E a migração de votos em muitos casos é declarada pelas pessoas em falas a amigos e pessoas, e também nas redes sociais. Sartori como deputado, comandou as votações para a privatização de empresas Estatais, como a CEEE e a CRT no Governo Britto, de seu Partido, o PMDB. Na mesma condição de Líder do Governo Britto na Assembléia Legislativa, comandou a Renegociação da Dívida com a União, cujo Presidente era FHC. Com esta “renegociação”, a prestação da Dívida do Estado com a União saltou de 8% para 13% da Receita do Estado a cada mês, prejudicando em muito a capacidade de investimento do Estado. Convenceu ainda milhares de servidores do Estado a aderirem ao PDV-Plano de Demissão Voluntária, o que reduziu a prestação de serviços do Estado aos cidadãos em várias áreas. Nada disto era conhecido dos gaúchos. A razão é a mesma do Brasil inteiro. A Mídia, comandada aqui pelo Grupo RBS, esconde e maquia estes fatos diante da população. A postura de Sartori para fugir a responsabilidade de seus atos passados, foi de de esconder atrás da imagem de homem bonachão que “conversa com todo mundo” e fazendo piadas que acabaram ofendendo parte da sociedade gaúcha. Preferiu fazer o papel de palhaço, se escondendo atrás de uma suposta postura anti política de protesto. Esta postura fez com que pela primeira vez a suposta “politização” dos gaúchos fosse questionada no Brasil inteiro, levando não sua postura, mas a de todo o Rio Grande ao ridículo. Boa parte dos gaúchos que votou nele no 1º turno parece ter acordado do torpor midiático e esta tomando posição, declarando a retirada do voto em Sartori e muitos afirmando que votarão em Tarso Genro E Dilma no 2º turno.

 

#DesesperodaVeja: Revista investe no terrorismo eleitoral, mas já perdeu toda a credibilidade

A três dias das eleições presidenciais, quando as pesquisas apontam para a vitória da presidenta Dilma Rousseff, a Revista Veja – velha conhecida por atuar como principal veículo de oposição aos governos petistas – chega às bancas com mais uma capa fraudulenta e caluniosa contra Dilma e o ex-presidente Lula.Trata-se da conhecida tática golpista praticada pela revista de tentar manipular a opinião pública, pautar o último debate na TV e influenciar o resultado das eleições.

A capa da publicação mostra Lula e Dilma com a manchete “eles sabiam de tudo” se referindo ao esquema de corrupção denunciado pelo doleiro Alberto Yousseff, por meio de delação premiada, à Polícia Federal. MENTIRA. E como sabemos a mentira é a matéria-prima do golpismo que a Revista lança sempre que os seus candidatos a presidente estão atrás nas pesquisas eleitorais na reta final das campanhas. Surpreendente seria se a Veja se comportasse diferente dessa vez.

O doleiro Yousseff foi preso no começo deste ano, pela Operação Lava Jato da PF, acusado de chefiar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O decorrer do processo ocorre em segredo de justiça e as declarações resultantes de delação premiada carecem de comprovação, já que esse tipo de interrogatório serve como peça inicial para investigações mais aprofundadas. As declarações do réu (no caso, o próprio doleiro Yousseff), aliás, precisam ser comprovadas para garantir a ele o direito de ter sua pena reduzida. Mas temos que lembrar que tudo o que “carece de comprovação” ou simplesmente é inventado ou fantasiado ganha contornos de “fato real” na redação oposicionista da Veja.

Vale destacar que, na semana passada, quando todos os jornais acusavam a participação do ex-presidente do PSDB, Sergio Guerra, no esquema de recebimento de propina em que é acusado pelo doleiro Alberto Yousseff, a capa da Revista Veja requentava uma notícia velha, não comprovada e caluniosa, para desviar o foco do assunto. E essa, como já sabemos, não foi a primeira vez. A quem serve, então, a Revista Veja?

Ações como essa são sintomáticas de um tipo de pseudo-jornalismo que há muitos anos deixou de lado o compromisso com a verdade e a informação. E mais, a antecipação da publicação da edição atual na tentativa de influenciar o resultado das eleições é prática de fraude eleitoral, pura e simples. Quais são os interesses que se escondem por trás de uma publicação que sistematicamente divulga todo o tipo de mentira e calúnia para difamar, desqualificar e desestabilizar um governo legítimo e eleito democraticamente pelo povo? Em uma democracia a postura anti-ética da Veja é inaceitável e deve ser entendida como uma tentativa de golpe.

Felizmente, os brasileiros já não se deixam enganar por uma revista que há muito tempo jogou fora toda a sua credibilidade. Eles pensam que podem manipular o eleitor com mentiras e desinformação. Estão errados. A democracia brasileira não é exercida nas bancas de jornais, mas nas urnas. E essa verdade está fora do alcance da manipulação da Veja.

Pescado do MUDA MAIS

Aécio comprando apoios? Lindsay Lohan declara apoio a Aécio e depois desiste

Pescado do Pragmatismo político
Atriz Lindsay Lohan “desiste” de apoiar Aécio Neves e apaga tweets que elogiavam o candidato tucano
lindsay lohan aécio neves
“Apoio” de Lindsay Lohan a Aécio Neves durou algumas horas (reprodução)

A atriz Lindsay Lohan retirou do ar na tarde desta terça-feira (21) o tweet no qual demonstrava apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB) à presidência do Brasil. Coincidentemente, a mensagem foi retirada do ar momentos após ser sugerido que a mensagem era ação da agência de marketing Hollywood TV, que agencia a carreira da atriz.

Mais cedo, através da rede social, a atriz havia escrito: “Eu apoio Aécio Neves! A plataforma dele traz mudanças positivas para o Brasil”.

A mensagem já não aparecia na página pessoal da atriz no Twitter por volta das 16h40 (horário de Brasília). Por outro lado, no mesmo horário ainda era possível ver chamada sobre a mensagem no site oficial da Hollywood TV Brasil, que também destacava o apoio da modelo Naomi Campbell ao candidato tucano.

Em sua mensagem, Lohan colocou a hashtag #HTVBR, abreviação da empresa no mercado. Em coluna publicada em 24 de outubro de 2013, Lauro Jardim, da Veja, afirma que a agência foi trazida ao Brasil por Pedro Assumpção, ex-presidente da GEO Eventos, e cita Lindsay Lohan entre uma de suas artistas produzidas.

Dilma abre 42 pontos de vantagem no Nordeste; no Sul, petista cresce 14 (!) pontos e também lidera

Postado originalmente em Paraná com Dilma:

dilma_lider

Do Estadão

A candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, passou de 56% para 68% dos votos totais no Nordeste, abrindo 42 pontos de vantagem sobre o concorrente do PSDB, Aécio Neves. É a região do País onde a diferença entre os dois adversários é a maior. O tucano caiu em todas as regiões, menos no Sudeste – a única em que lidera com vantagem acima da margem de erro: 47% a 39%.

A petista subiu 14 pontos no Sul, 6 no Norte/Centro-Oeste e oscilou 1 ponto para cima no Sudeste.

Os dois presidenciáveis estão tecnicamente empatados no Norte/Centro-Oeste (Dilma 47%, Aécio 45%) e no Sul (46% a 45%, respectivamente).

A avaliação da gestão Dilma também melhorou: a parcela da população que considera o governo ótimo ou bom passou de 43% para 45%. Já os que veem a gestão como ruim ou péssima passaram de 25% para 23%. O desempenho…

Ver original 9 mais palavras

“Candidato de Lindsay Lohan tem helicóptero cheio de cocaína”, diz site americano

Postado originalmente em O LADO ESCURO DA LUA:

Cocana. Aps tweet da atriz Lindsay Lohan (que posteriormente foi apagado), principal site de entretenimento dos EUA ressaltou a relao de Acio Neves

Source: www.pragmatismopolitico.com.br

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

Ver original

Mas não era o “Gringo que não agride”? Justiça manda tirar do ar propaganda de Sartori com ataques pessoais a Tarso

tvCHINGAA juíza Liselena Schifino Robles Ribeiro, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS), determinou a proibição de veiculação, por parte da candidatura de José Ivo Sartori (PMDB), de peça publicitária contendo ataques pessoais ao governador Tarso Genro (PT). A propaganda em questão, veiculada nos dias 21 e 22 de outubro, lança uma série de ofensas a Tarso Genro, atribuindo-lhe a pecha de “desequilibrado, mentiroso, fanático, manipulador, alucinado, ator de teatro de baixo nível”, entre outras.

A Coligação Unidade Popular pelo Rio Grande e Tarso Genro entraram com representação na Justiça Eleitoral contra a coligação chefiada pelo PMDB e seu candidato José Ivo Sartori, pedindo a suspensão imediata da veiculação da propaganda. Em sua decisão, a desembargadora diz que “as assertivas lançadas constituem ataques de natureza pessoal, de modo que se faz necessária a intervenção deste Tribunal, com o objetivo de tornar o debate mais respeitoso e produtivo para os destinatários do processo eleitoral, os cidadãos gaúchos”.


Luiz Müller

Twitter


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 9.430 outros seguidores